Ligue-se a nós

Cultura

‘Chef’ Leandro Carreira lança livro de sucesso e defende maior promoção da cozinha nacional

Leandro Carreira, 43 anos, é natural de Campinos, freguesia de Caranguejeira, Leiria. Formou-se na Escola Profissional de Leiria.

Publicado

em

Por

Foto: Chef Leandro Carreira / Facebook The Sea, The Sea

A culinária lusitana ganhou destaque num novo livro escrito por Leandro Carreira, ‘chef’ de Leiria radicado em Londres, que defende a necessidade de uma estratégia nacional de promoção da cozinha portuguesa.

Com mais de 550 receitas, clássicas e contemporâneas, “Portugal: The Cookbook” é já um sucesso após ter sido lançado em maio pela Phaidon, editora com sede em Nova Iorque e em Londres.

O livro pode ser comprado na FNAC.

A revista ‘National Geographic’ chegou a classificar “Portugal: The Cookbook” como um dos cinco melhores novos livros de receitas para a primavera.

Bolo do caco, arroz de bacalhau, peixinhos da horta, caldo verde ou broas de mel e amêndoa são algumas das receitas que podem ser encontradas neste livro, cujo processo de criação durou mais de dois anos.

Em declarações à Lusa, Leandro Carreira, atualmente ‘chef’ no “The Sea, The Sea”, em Londres, confessou que uma das maiores dificuldades que enfrentou foi a resistência das pessoas nas aldeias em partilharem consigo as suas receitas.

“Foi talvez um dos projetos mais difíceis que já fiz até hoje, em toda a minha carreira. Para começar, eu não sou escritor, sou formado em hotelaria. Foi tudo muito difícil porque não sabia sequer por onde começar. Eu tinha aquela utopia de que poderia ir até às aldeias em Portugal e as pessoas iriam falar comigo e passar-me as suas receitas. Claro que isso não aconteceu”, contou.

“Apesar de ter funcionado em algumas situações, de forma genérica, não foi assim que se passou. Enfrentei muita resistência de pessoas que não queriam passar-me as receitas, mas também muita gente quis partilhá-las. A resistência quebrou-se quando as receitas foram passadas a um intermediário, ao invés de serem transmitidas a mim diretamente, o que foi um pouco estranho”, revelou.

Apesar de o arranque ter sido difícil, o ‘chef’ de 43 anos salientou que foi igualmente desafiador parar, tendo chegado ao ponto de descartar cerca de 35% do material recolhido, de forma a respeitar as dimensões do livro.

“Portugal: The Cookbook” foi já lançado em vários continentes e a sua edição em francês está a ser preparada e será publicada em breve.

Leandro Carreira acredita que este livro poderá ter impacto na divulgação da culinária portuguesa no mundo.

“A grande energia do livro é desmistificar um pouco aquela ideia que as pessoas têm, no geral, de que a cozinha portuguesa é só pastéis de nata, vinho do Porto e bacalhau. E, de certa forma, um dos grandes desafios foi colocar isso em pratos mais limpos, colocar tudo num contexto mais atual”, disse.

“Acho que este livro vai ajudar as pessoas a perderem o medo e cozinharem algumas coisas com ingredientes que estejam mais acessíveis”, avaliou o ‘chef’, que vive em Londres há 12 anos.

Confrontado com o facto de em Nova Iorque, por exemplo, existirem centenas de restaurantes italianos, chineses, franceses, mais poucos portugueses, Leandro Carreira lamentou que esse cenário seja recorrente em muitas outras zonas geográficas.

“Isso é um estigma que se sente a nível mundial, não apenas nos Estados Unidos da América. Tenho amigos no Canadá, por exemplo, que relatam a mesma situação e aqui, em Londres, é ainda pior. Nunca se fez muito, enquanto nação, pela promoção da cozinha portuguesa”, considerou.

De acordo com o cozinheiro, deveria haver uma estratégia a nível nacional nesse sentido.

“A verdade é que, nos últimos 15 anos, Portugal tornou-se um destino tão popular, mas há que pensar que isso aconteceu por algum motivo. Muitos cozinheiros e pessoas ligadas à restauração e hotelaria viajaram mais, abriram outro tipo de projetos que não apenas o ‘fine dining’ [refeição requintada] e ficou tudo também mais descentralizado, ao invés de apenas em Lisboa, Porto e Algarve”, observou.

“Hoje já temos projetos por todo o país e isso foi algo que sempre faltou, mas ainda bem que está a acontecer agora”, concluiu o ‘chef’ português.

FARMÁCIAS DE SERVIÇO EM LEIRIA

POPULARES