Ligue-se a nós

Sociedade

Empresa de Leiria condenada a coima de 350 mil euros por descargas ilegais de efluentes

As descargas aconteceram em julho de 2019, numa exploração suinícola, na localidade da Lameira, Ortigosa.

Publicado

em

Por

Suinicultura Porco
Foto: Porco / Pixabay

Uma empresa de Leiria foi condenada na coima de 350 mil euros devido a descargas ilegais de efluentes.

Foi absolvida, assim como o seu representante legal, do crime de poluição, decisão da qual o Ministério Público vai recorrer.

Numa informação disponibilizada no seu sítio na Internet, a Procuradoria da República da Comarca de Leiria referiu que em causa estão factos ocorridos numa exploração suinícola, na localidade da Lameira, Ortigosa, no dia 04 de julho de 2019.

Segundo o despacho de acusação, “o arguido, como representante legal da sociedade arguida, ordenou e permitiu a abertura de uma vala que encaminhava os efluentes pecuários vindos dos vários edifícios da exploração suinícola, sem qualquer tratamento ou depuração, até à linha de água situada a sul da mesma, acabando por desaguar no rio Lis”.

“Dessa forma, os arguidos degradaram a qualidade ambiental da água e dos solos circundantes, disseminando substâncias e produtos líquidos e sólidos potencialmente poluentes e prejudiciais para o corpo e saúde das pessoas, inutilizando-a para consumo humano”, referiu a Procuradoria.

O Tribunal Judicial de Leiria “apenas considerou provada a prática de factos integradores de ilícitos contraordenacionais [ambientais], condenando a sociedade na coima única de 350 mil euros”, explicou a Procuradoria.

“O Ministério Público entende que ficou provada a prática do crime de poluição, posição que defendeu no julgamento, em sede de alegações finais, razão pela qual irá recorrer da sentença”, acrescentou.

A sentença foi proferida no dia 13 de janeiro pelo Juízo Local Criminal de Leiria.

FARMÁCIAS DE SERVIÇO EM LEIRIA

POPULARES