Ligue-se a nós

Cultura

Festival Literário do Interior arranca na quinta-feira em Pedrógão Grande

A sessão inaugural do Festival Literário do Interior vai decorrer em Pedrógão Grande, com a presença do Presidente da República.

Publicado

em

Por

Festival Literário Internacional do Interior - FLII
Foto: Facebook FLII - Palavras de Fogo

O Festival Literário Internacional do Interior (FLII) arranca na próxima quinta-feira com dezenas de iniciativas distribuídas por sete concelhos da região Centro.

Este ano, o evento vai homenagear os escritores Manuel Alegre, Maria Teresa Horta e Carlos de Oliveira.

O festival, que decorre de 17 a 20 de junho, mas com iniciativas que precedem e sucedem essas datas, vai realizar-se em Arganil, Condeixa-a-Nova, Lousã, Miranda do Corvo, Pampilhosa da Serra, Pedrógão Grande e Tábua, afirmou hoje a coordenadora do FLII – Palavras de Fogo, Ana Filomena Amaral, na sessão de apresentação que realizou-se na sede da Associação das Vítimas do Incêndio de Pedrógão Grande (AVIPG).

A quarta edição do certame tem como subtema “Literatura, cidadania e liberdade”, homenageando os escritores Manuel Alegre, Maria Teresa Horta e Carlos de Oliveira.

“Achamos que este ano é a prova de que vamos poder continuar a existir, porque quem sobrevive dois anos a uma pandemia sobrevive a tudo o resto”, salientou Ana Filomena Amaral, referindo que todos os eventos serão presenciais, seguindo as regras sanitárias devido à covid-19, havendo ainda algumas sessões que terão também transmissão digital.

Este ano, o festival conta com Ricardo Fonseca da Mota, de Tábua, como escritor residente do evento, avançou.

A sessão inaugural do festival vai decorrer em Pedrógão Grande, seguindo-se uma palestra de Paulo Mourão, intitulada “Manuel Alegre – Canto, cidadania”.

Exposições, apresentação de livros, debates, momentos musicais e leituras em ambiente escolar são algumas das propostas do festival.

Durante a conferência de imprensa, Ana Filomena Amaral notou que, apesar de pedidos de apoio junto do Governo, a Arte-Via Cooperativa (que tem sede na Lousã que promove o festival) não recebeu “qualquer resposta de nenhum organismo estatal”.

“Num ano em que tanto querem garantir cultura, não tivemos sequer resposta das entidades estatais”, criticou, salientando, no entanto, que o interior “já tem uma aprendizagem muito grande” e que não será a falta dos apoios que faça com que o festival desista.

O programa do festival está disponível para consulta em www.palavrasdefogo.pt (link).

FARMÁCIAS DE SERVIÇO EM LEIRIA

POPULARES