Ligue-se a nós

Opinião

Mães de todos os dias!

“As mães são-no todos os dias e até ao último dia, na medida certa, na sopinha sempre fresca, na roupinha lavada com o cheiro que só a roupa da mãe tem e num pedaço de bolo que se manda escondido por entre tupperwares…”.

Publicado

em

Opinião Carolina Costa
Foto: Psicóloga Carolina Costa / NL

Todas as mães deviam saber, todos os dias e de forma garantida que, na sua imperfeição, são sempre as melhores do mundo!

As mães são, em qualquer circunstância, o melhor porto de abrigo. O porto seguro, tudo o que é certo, o amor garantido e incondicional. São o algodão doce dos dias que não são de festa, os pozinhos de perlimpimpim de todas as histórioas recontadas vezes sem conta e sempre com o mesmo encanto. São o abraço mais terno e reconfortante.

Todas as mães, as boas mães, são-no, acima de tudo, porque o querem muito e trabalham para isso todos os dias! Caminham diariamente desapegando-se de tudo o que têm como certo, fazem reset e começam de novo. Porque as mães também erram e sofrem… E quando erram, culpam-se… E quando os filhos sofrem, sofrem a quadriplicar e tudo porque, quando nascem, nasce com elas um novo coração que, embora sempre seu, bate fora do peito! E as mães, quando nascem, também sonham. Sonham por elas e pelos filhos cujas viagens guiam pelo seu olhar, terno e doce, nunca segurando mas sempre amparando, nunca na frente mas na retaguarda, pacientes, amedrontadas, silenciosas…

Os filhos, esses, todos diferentes, todos os melhores e mais bonitos de suas mães e nenhum nascido a saber voar… Então as mães ensinam, cosem as asas, consertam os estragos e quando não conseguem de uma só vez, vão consertando, aos bocadinhos e aprendendo e desconsertando e voltando a consertar porque as mães fazem SEMPRE o melhor que podem com as agulhas e linhas que têm! As mães sabem sempre o que é melhor para os filhos mesmo quando fingem não o saber porque isso pode, às vezes, doer… As mães não dormem NUNCA MAIS como antes de nascerem, têm pedras no lugar das costas e 101 braços que se perdem nas mil tarefas diárias. As mães são-no todos os dias e até ao último dia, na medida certa, na sopinha sempre fresca, na roupinha lavada com o cheiro que só a roupa da mãe tem e num pedaço de bolo que se manda escondido por entre tupperwares…

As mães das mães são as melhores mães e as que, afinal, sempre tiveram razão, as que olham para as filhas SEMPRE em primeiro lugar e não deixam de as sentir, todos os dias, dentro da sua barriga!

As mães, às vezes, esquecem-se que são gente, de existir para além de um corpo que não é o seu, de que precisam de ser cuidadas para poder cuidar… As mães merecem uma estátua pela coragem de amar acima de si mesmas e mergulhar nesse amor de forma desmensurada,

TODOS OS DIAS!

A todas as mães e à minha mãe Nanda em particular, um dia de coração cheio!

FARMÁCIAS DE SERVIÇO EM LEIRIA

POPULARES