Ligue-se a nós

Autárquicas 2021

Nove candidatos na corrida à presidência da Câmara de Leiria é um recorde

De acordo com os resultados preliminares dos Censos 2021, do Instituto Nacional de Estatística, o concelho de Leiria tem 128.640 habitantes. Cerca de 20% são pessoas com 65 ou mais anos.

Publicado

em

Por

Foto: Eleições Autárquicas - Câmara Municipal de Leiria / NL

Nove candidatos, o que é um recorde no concelho, estão na corrida à presidência da Câmara de Leiria, socialista desde 2009, quando o PS conquistou o município ao PSD e, desde então, tem aumentado sempre a votação.

Naquele ano, os socialistas ganharam as eleições autárquicas sem maioria absoluta, alcançando cinco mandatos, o mesmo número dos do PSD, e o CDS-PP um.

No sufrágio seguinte, em 2013, o PS passou a ter maioria absoluta (sete mandatos), enquanto o PSD sentou na Câmara quatro vereadores.

Já nas mais recentes autárquicas, em 2017, o PS aumentou a bancada para oito mandatos e o PSD diminuiu para três.

A aposta do PS é no atual presidente do município, Gonçalo Lopes, que em agosto de 2019 assumiu o cargo depois de o então líder da Câmara, Raul Castro, ter suspendido o mandato para integrar as listas às legislativas, tendo sido eleito deputado.

No vídeo de apresentação da candidatura, publicado na sua página do Facebook, Gonçalo Lopes prometeu que “vai lançar as bases de uma Leiria nova”.

“O projeto vai criar um concelho mais equilibrado, sustentável e harmonioso e mais atrativo para os jovens qualificados e empresas de grande valor acrescentado”, afirmou Gonçalo Lopes, que é presidente da concelhia.

É também o presidente da concelhia que o PSD apresenta a sufrágio. Álvaro Madureira, atual vereador, é de novo o n.º 1 da lista, depois de em 2013 ter liderado a candidatura social-democrata. Traça como objetivo devolver o município ao partido.

“Aceitei o desafio pelo facto de Leiria necessitar de mudança. O PS esteve aqui durante 12 anos e não se notou grande diferença. É um final de ciclo”, considerou Álvaro Madureira.

Nestas eleições autárquicas, o CDS-PP, em coligação com o MPT (Partido da Terra), apresenta igualmente o seu presidente da concelhia, o advogado Fábio Seguro Joaquim, que expressou o desejo de renovação e a “convicção de que Leiria necessita de se afirmar em termos nacionais e internacionais”.

“Há muito caminho a explorar nesse sentido”, declarou o candidato, membro da Assembleia Municipal.

Por sua vez, outra coligação, a CDU (Partido Comunista e “Os Verdes”), candidata Sérgio Silva, funcionário na Câmara de Leiria, convicto de que “fazia bem” à democracia não haver maioria absoluta.

“A maioria absoluta a que temos assistido tem levado a uma certa inépcia na gestão [municipal]”, sustentou.

Já o BE apresenta Luís Miguel Silva, candidato que justifica ter aceitado o desafio pelos leirienses e porque Leiria merece mais.

O ambiente, a cultura e a mobilidade – com destaque para a requalificação da linha ferroviária do Oeste – são áreas às quais Luís Miguel Silva promete dedicação se for eleito.

Por sua vez, o PAN aposta em Pedro Machado, que quer abrir caminho para as propostas do partido serem mais ouvidas.

O candidato, porta-voz da Comissão Política Distrital de Santarém, sublinhou que este é um partido “verdadeiramente ecologista”, com “ideias progressistas, ecocentradas, que olham para o concelho e para o mundo em geral de uma forma sustentada”.

O Chega, que se estreia numas eleições autárquicas, concorre com Luís Paulo Fernandes, presidente da Comissão Política Distrital de Leiria do partido, que quer colocar o concelho “no centro, não apenas do ponto de vista geográfico”.

Luís Paulo Fernandes, empresário, referiu que o Chega vai “entrar nesta corrida para ganhar”.

Também estreante é a Iniciativa Liberal, que candidata o consultor de gestão Marcos Ramos, coordenador do Núcleo Territorial de Leiria do partido.

Para Marco Ramos, “a política tem de ser feita de baixo para cima, a partir do município e das freguesias”, considerando que “uma visão liberal faz falta na Câmara Municipal”.

Há ainda um outro partido que concorre pela primeira vez em eleições autárquicas em Leiria, o Livre, cuja candidatura é liderada por Filipe Honório, consultor de gestão.

Para Filipe Honório, a capital de distrito precisa de uma voz ativa, progressista e ecologista. O candidato considera que o trabalho do executivo municipal “não responde às necessidades profundas”.

De acordo com os resultados preliminares dos Censos 2021, do Instituto Nacional de Estatística, divulgados em julho, o concelho de Leiria tem 128.640 habitantes.

Segundo a plataforma estatística Eyedata, 20,83% são pessoas com 65 ou mais anos (dados de 2020).

No concelho de Leiria, o ganho médio mensal dos trabalhadores por conta de outrem em 2019 foi de 1.125,70 euros (a média no país foi de 1.207,01). No ano passado, o concelho tinha 4,35 médicos por mil habitantes (contra 5,56 nível nacional), ainda de acordo com esta plataforma.

A base de dados Pordata indica que o concelho de Leiria tem 565 quilómetros quadrados (ano de 2020).

FARMÁCIAS DE SERVIÇO EM LEIRIA

POPULARES