Ligue-se a nós

Opinião

O respeito pela criança

“As crianças são os melhores cientistas que podemos conhecer, porque aprofundam ao máximo cada questão, sem irem com a ideia de que já sabem tudo”.

Publicado

em

Opinião
Foto: Opinião de Cláudia Oliveira / DR

Vivemos numa sociedade em que tudo é para ontem, em que deixamos de viver o “Hoje”, para passarmos a preparar o “Futuro”, porque tudo é uma competição, porque o mundo em que vivemos é cada vez mais exigente.

“A criança vive em constante preparação e antecipação de fases”.

Estamos sempre a pensar na etapa seguinte. Quando a criança está com a mãe, a mãe pensa que tem de introduzir as sopas para preparar a entrada na creche. Quando está na creche, a criança tem de se preparar para entrar no jardim-de-infância. Quando está no jardim-de-infância, tem de se preparar para o 1.º ciclo e assim sucessivamente. A criança vive em constante preparação e antecipação de fases.

Será que a estamos mesmo a preparar? Ou será que estamos a saltar fases de desenvolvimento e a desrespeitar toda a sua essência? Que consequências terá esta abordagem no desenvolvimento da criança e na sua personalidade?

“Não tratemos as crianças como ignorantes”.

Se antes as crianças, até à idade pré-escolar, eram completamente desvalorizadas e não integravam o ensino público, atualmente, são tratadas como adultos em miniatura, mas adultos ignorantes. Não tratemos as crianças como ignorantes. Elas são um ser humano pensante, um cidadão como nós, com opinião e espírito crítico.

As crianças são os melhores cientistas que podemos conhecer, porque aprofundam ao máximo cada questão, sem irem com a ideia de que já sabem tudo. Valorizam cada pormenor e, por isso, conseguem observar pequenas/grandes descobertas, invisíveis aos olhos do adulto. As crianças são um ser incrível que, para além de ter uma capacidade de aprender inata, muito mais poderosa do que a de qualquer adulto, são completamente “virgens” em termos de filtros sociais, conseguindo ver tudo em várias perspetivas, sem condicionantes como o preconceito.

As crianças são genuínas e conseguem ver sempre muito mais além, observando tudo com muita profundidade. Profundidade essa que é alimentada pela curiosidade intensa que sentem por tudo o que as rodeia.

É importante haver uma escuta sensível da criança, ela tem voz. Uma criança que gosta da LUA e que quer aprender mais sobre este satélite, já tem algum conhecimento ou ideias predefinidas sobre ele. Se perguntarmos à criança o que já sabe, podem ter a certeza que se vão surpreender. Elas sabem sempre alguma coisa e, se lhes dermos essa oportunidade, presenteiam-nos com respostas dignas de qualquer adulto. Não se esqueçam que os maiores crânios e celebridades do MUNDO já foram um dia crianças.

Sou educadora e, no caminho que tenho vindo a percorrer, no sentido de aprender a respeitar este SER, tenho a noção da tamanha responsabilidade que tenho entre mãos, mas também tenho a noção do privilégio que é passar o dia com estas miniaturas e do quão eu aprendo com elas.

“Elas entendem muito”.

Hoje festejamos o Dia da Criança e, por isso, mudemos a visão que temos sobre elas e deixem a típica frase “Elas não entendem, são muito pequeninas!”. Elas entendem muito mais do que vocês imaginam e irão usar toda essa compreensão mais tarde, da forma que lhes der mais jeito, porque as crianças são os indivíduos mais inteligentes que conheço.

Como dizia Louis Pasteur “Quando vejo uma criança, ela inspira-me dois sentimentos: ternura pelo que é, respeito pelo que pode vir a ser.”

FARMÁCIAS DE SERVIÇO EM LEIRIA

POPULARES