Ligue-se a nós

Sociedade

PCP de Leiria também condena atos de vandalismo no Menino do Lapedo

Em 2013 o Abrigo do Lagar Velho foi classificado como Monumento Nacional e o Vale do Lapedo como Zona Especial de Proteção.

Publicado

em

Por

Pormenor Vale do Lapedo
Foto: Danos no sítio arqueológico Abrigo do Lagar Velho / Município de Leiria

A Direção da Organização Regional de Leiria (Dorlei) do PCP condenou hoje os atos de vandalismo praticados no sítio arqueológico do Abrigo do Lagar Velho no Lapedo, concelho de Leiria, e apela à “adequada investigação”.

A Câmara de Leiria informou, no sábado, que o sítio arqueológico do Menino do Lapedo sofreu atos de vandalismo pelos quais foi apresentada queixa à GNR.

“O sítio arqueológico Abrigo do Lagar Velho, localizado no Vale do Lapedo, em Santa Eufémia, foi recentemente alvo de ações de vandalismo”, afirmou em comunicado a Câmara Municipal, indicando que a situação foi também relatada à Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) e à Direção Regional de Cultura do Centro.

Os danos, segundo a nota, “foram infligidos sobre o denominado Testemunho Pendurado, reentrância localizada na parede de fundo do abrigo”.

A Dorlei salienta que se trata de um “sítio arqueológico”, que foi ocupado “por seres humanos há pelo menos 29 mil anos” e que está “classificado pela DGPC como monumento nacional”.

“É da maior relevância científica, inclusive no plano internacional, para o estudo e conhecimento da evolução humana e da interação humana com o meio envolvente no paleolítico superior”, acrescenta o comunicado

Segundo o PCP, a propriedade privada dos terrenos onde se situa “tem sido um obstáculo ao desenvolvimento dos trabalhos na dimensão e intensidade que se impunha”.

“Um problema sério para a criação de condições eficazes de proteção, salvaguarda e divulgação e um sério impedimento para o imprescindível investimento do Estado”.

A Dorlei referiu ainda que “a passagem dos terrenos para o património do Estado é uma emergência pela qual o PCP se irá bater, designadamente na Assembleia da República”.

“O PCP irá igualmente intervir em defesa da imperiosa necessidade de investimento do Estado para criação de condições de segurança, proteção e salvaguarda deste património, bem como pela realização de campanhas de campo sistemáticas e ampliadas”, sublinhou.

O partido informou ainda que “há muito que o PCP alerta para a necessidade de trazer ao património público os terrenos onde se insere este sítio arqueológico”, pelo que a aquisição dos terrenos “tem feito parte dos programas eleitorais da CDU no concelho de Leiria”.

“O PCP constata e denuncia o desinteresse e a inação dos vários governos, da responsabilidade do PS, PSD e CDS, relativamente a este relevante património nacional”, lê-se na nota.

O PCP “saúda e realça a dedicação e o esforço de todos os que desde as descobertas iniciais – quer em regime de voluntariado, quer profissionais do setor – se têm dedicado aos trabalhos de campo, estudo, preservação e divulgação deste património”.

A investigação no Abrigo do Lagar Velho começou em 1998, depois de terem sido descobertos fragmentos ósseos humanos de uma criança com cerca de cinco anos.

O Testemunho Pendurado, com cerca de 60 cm de espessura, preenche uma fissura estreita e alongada, na parede de fundo do abrigo cortada pela terraplanagem, situada 1,2 a três metros acima da superfície artificial do terreno.

Os depósitos vieram a revelar contextos arqueológicos datados entre 24 mil e 26 mil anos.

Em 2013 o Abrigo do Lagar Velho foi classificado como Monumento Nacional e o Vale do Lapedo como Zona Especial de Proteção.

Em 2021, o esqueleto do menino do Lapedo e artefactos arqueológicos associados foram classificados como bens de interesse nacional, com a designação de “tesouro nacional”, achado que constitui “um dos elementos predominantes” da candidatura de Leiria a Capital Europeia da Cultura em 2027.

FARMÁCIAS DE SERVIÇO EM LEIRIA

POPULARES