Ligue-se a nós

Sociedade

PS fala em grande vitória, PSD regista surpresa

“O PSD não está a conseguir comunicar as suas ideias aos eleitores”, constatou Hugo Oliveira, eleito pelo PSD.

Publicado

em

Por

Foto: António Lacerda Sales e Walter Chicharro / Facebook Walter Chicharro

O PS destacou este domingo a “grande vitória” em Leiria, distrito onde, pela primeira vez ganhou uma eleição legislativa, enquanto o PSD, tradicionalmente vencedor, admitiu surpresa.

“Este é o corolário de um grande trabalho que foi feito por todos os candidatos. É o reconhecimento do muito trabalho que o partido e a Federação têm vindo a fazer no distrito e do excelente trabalho que o Governo tem feito”, disse o presidente da Federação Distrital de Leiria do PS, Walter Chicharro.

O PS ganhou no domingo, pela primeira vez, uma eleição legislativa no distrito de Leiria, tradicionalmente social-democrata, conquistando cinco deputados, enquanto o PSD obteve quatro, tendo o Bloco de Esquerda perdido o mandato para o Chega.

Segundo Walter Chicharro, com o “melhor resultado de sempre”, todos os objetivos que estavam planeados “ficam cumpridos”, declarando-se ainda “muito satisfeito” com o aumento do número de deputados eleitos.

O presidente da Comissão Política Distrital do PSD de Leiria, Hugo Oliveira, reeleito deputado, reconheceu que os resultados no distrito de Leiria foram “uma surpresa”.

Aos jornalistas, Hugo Oliveira considerou que Leiria “não conseguiu escapar à pesca de arrasto do PS” e defendeu a necessidade de uma reflexão.

“Há um erro de comunicação com a população. O PSD não está a conseguir comunicar as suas ideias aos eleitores”, constatou o social-democrata.

Hugo Oliveira notou também que “o PSD sobe no número de votos no distrito” (de 74.961 votos em 2019 para 81.778 agora), assim como o PS, mas os socialistas “à custa da diminuição do voto no Bloco de Esquerda, que passa de 20 mil para 10 mil votos”.

“O PS conseguiu absorver o BE”, declarou.

Os socialistas tiveram nas legislativas antecipadas de domingo 35,73% (84.253 votos) e o PSD 34,68% (81.778), registando-se uma diferença de 2.475 votos.

O Chega foi a terceira força política mais votada neste círculo eleitoral, com 8,02% e 18.918 votos, sentando, pela primeira vez, um deputado por Leiria na Assembleia da República.

O PS elegeu, além dos três atuais secretários de Estado António Lacerda Sales (Adjunto e da Saúde), Eurico Brilhante Dias (Internacionalização) e Catarina Sarmento e Castro (Recursos Humanos e Antigos Combatentes), a deputada Sara Velez e Salvador Formiga, chefe de gabinete do presidente da Câmara da Nazaré.

Pelo PSD foi eleito o docente universitário e jurista Paulo Mota Pinto, mantendo-se ainda como deputados do partido Hugo Oliveira, Olga Silvestre e João Marques.

O professor Gabriel Mithá Ribeiro, um dos vice-presidentes do Chega, vai ocupar um lugar no parlamento.

O BE, que recandidatou o deputado Ricardo Vicente, perdeu o mandato que mantinha desde as eleições de 2015, ao obter agora 4,54% e 10.711 votos, passando de terceira força política a quinta, depois de PS, PSD, Chega e Iniciativa Liberal.

FARMÁCIAS DE SERVIÇO EM LEIRIA

POPULARES