Ligue-se a nós

Sociedade

PSD alerta em carta aberta ao Governo para falta de recursos no hospital de Leiria

Para os deputados do PSD é de “pasmar” a “passividade” de António Lacerda Sales que, “apesar de exercer as funções de secretário de Estado Adjunto e da Saúde é também presidente da Assembleia Municipal de Leiria.

Publicado

em

Por

Foto: Consulta externa da Pediatria, no Hospital Santo André em Leiria / Sérgio Claro

Os deputados do PSD eleitos pelo círculo de Leiria enviaram uma carta aberta ao secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Lacerda Sales, alertando para a falta de recursos no hospital de Leiria.

Na missiva, os deputados, que lembram que António Lacerda Sales foi recentemente eleito presidente da Assembleia Municipal de Leiria, adiantam que o “Centro Hospitalar de Leiria tem sido um caso bem visível deste desnorte de um Governo em fim de ciclo e que em nada tem contribuído para o desenvolvimento da saúde em Portugal”.

“A prestação de serviços de saúde, no nosso país, tem passado por momentos difíceis, muito agravados por uma já evidente falta de planeamento por parte do Ministério da Saúde, a qual tem contribuído, de sobremaneira, para a degradação do Serviço Nacional de Saúde (SNS)”, lê-se no documento.

Os sociais-democratas constatam que o Centro Hospitalar de Leiria (CHL), do qual fazem parte o Hospital de Santo André, em Leiria, o Hospital Distrital de Pombal e o Hospital de Alcobaça Bernardino Lopes de Oliveira, “tem vindo a perder especialidades por falta de profissionais nos seus quadros e que preencham as necessidades prementes no contexto regional”.

“Na falta de especialistas, o Governo esconde-se na necessidade de formar mais profissionais. No entanto, verdade é que a distribuição dos novos especialistas recai, essencialmente, sobre os grandes centros urbanos, em detrimento de regiões como a de Leiria. O Governo tarda, pois, em criar mecanismos que permitam uma efetiva fixação dos profissionais de saúde nos territórios onde são mais precisos”, alertam ainda.

Para aqueles deputados à Assembleia da República “não é admissível” que o CHL “tenha constantemente dificuldades de funcionamento por falta de recursos humanos, com consequências graves como foi o caso do recente encerramento provisório de serviços de urgência no Hospital de Santo André”.

Os parlamentares consideram ainda ser de “pasmar” a “passividade” de António Lacerda Sales que, “apesar de exercer as funções de secretário de Estado Adjunto e da Saúde e, desde há pouco, as de presidente da Assembleia Municipal de Leiria, assista a toda esta degradação do funcionamento dos serviços de saúde na região de Leiria, como se não tivesse qualquer responsabilidade na matéria”.

“A assunção de responsabilidades no exercício de cargos públicos exige eficiência, mas também o sentido de responsabilização que deve recair em quem representa os seus eleitores”, defendem também na carta.

Assinada por Hugo Oliveira, Margarida Balseiro Lopes, Pedro Roque, Olga Silvestre e João Marques, o documento refere ainda que os “eleitos pelo círculo de Leiria” manifestam o seu “profundo desagrado pela ineficácia do Ministério da Saúde e pela sua incapacidade de dotar o Centro Hospitalar de Leiria com condições mínimas para assegurar uma condigna prestação de cuidados de saúde aos utentes do SNS da região”.

O CHL tem registado falta de especialistas, sobretudo, no Serviço de Urgência Geral (SUG). Na semana passada, o CHL anunciou que o acesso ao SUG do Hospital de Santo André estaria limitado a partir das 22:00 do dia 12 até às 08:00 do dia seguinte, admitindo “o possível reencaminhamento de alguns doentes para as Urgências do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra”.

FARMÁCIAS DE SERVIÇO EM LEIRIA

POPULARES