Ligue-se a nós

Sociedade

Reportagem: Carros elétricos e clássicos “invadem” centro da cidade de Leiria

Na Avenida Elétrica encontravam-se cerca de quarenta elétricos de várias marcas e concessionários de Leiria, bicicletas a motor e ainda pequenos karts.

Publicado

em

Foto: Leiria Sobre Rodas 2021 / NL

Entre floreiras e jardins, esplanadas e namorados ou fotógrafos, da Avenida Elétrica, na Fonte Quente, com passagem pelos emblemáticos Parque do Avião e o Jardim Luís de Camões, o Notícias de Leiria, foi ver, no fim de semana, 11 e 12 de setembro, os “Clássicos na Cidade.”

“O Leiria Sobre Rodas é quando havia lá no estádio. Vinham pilotos internacionais! Milhares de pessoas e centenas de carros lá no Estádio. Agora é apenas uma exposição,” lamentou João Pinto, de 64 anos, a vender pipocas na rulote “Miminhos d`avó” no Jardim Luís de Camões, no centro da cidade.

Foto: João Pinto, 64 anos, vendedor de pipocas / NL

“Vim vender para aqui porque agora não há arraiais devido à pandemia,” lamentou.

“Vinham a Leiria milhares de pessoas”.

“Isto era em grande. Vinham a Leiria milhares de pessoas,” acrescentou. Antes de falarmos com João Pinto, natural de Marco de Canavezes, a viver em Leiria há 11 anos, encontrámos no Largo 5 de Outubro (Largo do Papa), entre os cinco clássicos expostos, um Peugeot Quadrilette 161, de 1921, que segundo o cartaz informativo, descrito como “um veículo pequeno, prático e barato, foi produzido pela marca para sobreviver à crise financeira provocada pela 1ª guerra mundial.” Um Fort T Speedster de 1915, era o clássico mais antigo no Largo do Papa.

Já antes, estava exposto junto ao avião, no Parque Municipal Jaime Filipe da Fonseca, um Volkswagen Kombi 23 “pão de forma,” de 1977, destacado pelas suas 23 janelas, das quais, oito claraboias.

Foto: Carrinha Volkswagen Kombi 23, Leiria Sobre Rodas 2021 / NL

Poucos metros mais acima, no pequeno largo perto da entrada principal do parque, nos degraus junto ao café, encontrámos oito BMW modelo 1602, de 1972, de várias cores, expostos em linha lateralmente e com a frente virada para o rio.

Foto: Carros BMW, Leiria Sobre Rodas 2021 / NL

Do outro lado da estrada, antes da entrada na Praça Rodrigues Lobo, onde esperavam dentro de uma tenda em plástico transparente, nove motos antigas, seis de pista e três clássicas, mais pequenas, encontrámos em frente ao Banco de Portugal, discreto, no jardim, um pequeno trator vermelho e dois carros da polícia.

Desfile de Clássicos cancelado

“Era o momento alto. Gostei de ver o desfile de clássicos nos outros anos,” lembrou Filipe Marques, 45 anos, de Leiria, junto a um dos carros da polícia, um Volkswagen Type, carocha 1300, de 1972, descrito como o “Carro do Povo”.

Foto: Filipe Marques e família / NL

“Viemos dar um passeio a pé e ver os clássicos,” disse o delegado comercial, a passear com a família. “É pena, este ano o desfile ter sido cancelado, devido ao falecimento de Jorge Sampaio, porque já no ano passado não se realizou devido à pandemia,” lamentou o leiriense ao Notícias de Leiria.

Embora cancelado pela organização, muitas viaturas clássicas acabaram por realizar o percurso com partida do Estádio Municipal de Leiria.

“É bom para os mais novos verem a evolução dos carros”.

“Acredito que se o meu pai visse, ia gostar. Isto é apelativo, é uma forma de lembrar os tempos antigos,” avançou Leonor Correia, de 20 anos, natural da Madeira e a estudar em Coimbra.

Foto: Leonor Correia, 20 anos, estudante / NL

“Estou em Leiria a trabalhar num trabalho académico e vim ver os clássicos.” A ver as motos, a jovem estudante acrescentou ainda que “claro que estou a gostar. Esta exposição também é boa para os mais novos verem a evolução dos carros.”

Já perto da final da tarde quente de sábado, ali ao lado, na Fonte Luminosa, “pioneiros na indústria automóvel,” os irmãos Dodge à frente de um Dodge Brothers modelo Business Coupe de 1918, “guardavam”, de espingarda em punho, a Caixa Geral de Depósitos.

Foto: Dodge Brothers, Leiria Sobre Rodas 2021 / NL

No final do passeio, iniciado na Avenida Elétrica, na Fonte Quente, já na Avenida Heróis de Angola, junto ao Teatro, visitámos o DeSoto, modelo Diplomat, com 220 cavalos e 5.100 de cilindrada, veículo de 1ª geração, construído em 1958, que foi de José Lúcio da Silva, e que transportou o ilustre leiriense à inauguração do teatro com o seu nome, em 15 de janeiro de 1966.

Foto: DeSoto, modelo Diplomat, Leiria Sobre Rodas 2021 / NL

“Este ano o destaque são os elétricos. As pessoas estão a aderir e temos o Test Drive no parque subterrâneo,” disse ao Notícias de Leiria, João Fonseca, de 28 anos, a trabalhar no stand da organização.

Foto: Avenida Elétrica, Leiria Sobre Rodas 2021 / NL

“Viva a nossa paixão. Vamos espalhar o espírito do Leiria Sobre Rodas pela cidade,” lia-se no site da organização, que teve início na passada quinta feira, dia 9, onde foram expostos em locais emblemáticos da cidade 17 automóveis clássicos.

Na Avenida Elétrica encontravam-se cerca de quarenta elétricos de todas as marcas e concessionários de Leiria, bicicletas a motor e ainda pequenos karts, tudo movido a eletricidade, e onde as crianças percorriam um pequeno percurso.

Na Zona Industrial Cova das Faias, no domingo à tarde, realizou-se o Lizitalia Motorshow Circuito Leiria 2021 numa parceira com o NDML – Núcleo Desportos Motorizados de Leiria.

FARMÁCIAS DE SERVIÇO EM LEIRIA

POPULARES